Set. 27

5 Dicas para um bom Report

 

Quem trabalha em Marketing Digital sabe que, no final das contas, o que o cliente pretende saber é qual o retorno que o teu trabalho teve no seu negócio.

Seja enquanto Gestor de redes sociais e comunidades ou Gestor de tráfego pago, é importante perceber quais os resultados que o teu trabalho teve e como isso impactou o negócio do cliente. Para além da componente estratégica, uma das principais tarefas é a análise estatística ou analítica dos resultados. Antes de "pôr a mão na massa", importa definir objetivos para que possas monitorizá-los constantemente. Só assim será possível medir o retorno, avaliar o trabalho que está a ser feito e fazer ajustes.

Nunca foi tão fácil fazer análise de resultados como hoje. Com as ferramentas que temos ao nosso dispor, sejam pagas ou gratuitas (as próprias redes sociais têm dashboards com as principais estatísticas), é muito fácil apresentar e medir resultados de esforços de marketing digital. Não conseguimos medir o número de impressões de um anúncio no jornal, mas conseguimos saber, com uma margem de erro muito reduzida, o número de impressões que um anúncio no facebook teve.

Na hora de fazer o report dos trabalhos, há sempre a tentação de colocarmos todos os dados. Este é o erro número 1 de quem trabalha em marketing digital! Neste caso, menos é mais e é preciso colocarmo-nos no lugar do cliente para percebermos a diferença entre receber um relatório com 5 páginas ou com 50. Achas que o cliente vai ler as 50 páginas? Podemos apostar que não.

Então, o que é realmente importante colocar num relatório de marketing digital? A resposta é simples: o que é realmente importante para o cliente!

 

#1 - Resumir para reinar

Independentemente das métricas que o profissional de marketing digital monitorize (pode - e deve! - ter um ficheiro pessoal para fazer este acompanhamento, de preferência, semanalmente), na hora de apresentar “contas” ao cliente, é importante fazer um resumo do trabalho desenvolvido, com as principais conclusões e resultados do período em análise e, idealmente, com um comparativo de tempo, por exemplo, o mês anterior.

Faz um resumo daquilo que são os “Highlights” e os “Lowlights” do mês, ou seja, o que correu bem e o que correu mal, com uma síntese dos trabalhos realizados e resultados obtidos, antes de passares aos detalhes de cada ação ou resultado por canal. Não te esqueças das considerações finais e dos próximos passos.

  

#2 - Menos é mais

São raras as vezes, um dos pedidos que os clientes que começam a trabalhar com a nossa agência fazem é para enviarmos reports simples e objetivos. Isto porque há uma “tentação” dos accounts para exportar os reports das plataformas, como o Swonkie, e enviarem diretamente para o cliente, sem qualquer tratamento ou personalização. ERRADO!

Se realmente queres valorizar o teu trabalho, deves fazer o teu próprio relatório, com aquilo que realmente importa para o cliente. Não quero com isto dizer que os reports extraídos das plataformas não sejam importantes, claro que são, mas como complemento à informação que tu transformaste em conhecimento para o cliente, após uma análise cuidada e atenta. CERTO?

 

#3 - Os olhos também comem 

Para além dos resultados, aposta no design e na organização dos dados, desta forma vais tornar a leitura do relatório, mais interessante e um pouco menos aborrecida.

Podes utilizar gráficos, imagens ou ícones para ilustrar as informações a transmitir. Torna o relatório mais interessante com diferentes tamanhos de letra e cores (não faças do report uma tese de mestrado, mas também não o transformes num circo de cores… a palavra de ordem é equilíbrio e bom gosto, naturalmente!)

 

#4 - Ver para Crer

Como abordámos no artigo “És digital account? Então este artigo é para ti”, existem muitas ferramentas que podem auxiliar-te no teu dia-a-dia enquanto gestor de redes sociais. Para além das ferramentas gratuitas disponibilizadas pela Google ou pelas redes sociais como o Facebook e o Instagram, nas quais podemos recolher dados relativos ao nosso trabalho, há muitas alternativas que podes usar na análise e monitorização do teu trabalho.

Isto torna-se especialmente crítico quando geres 10 ou mais páginas de clientes. Nestes casos, a recolha dos dados plataforma a plataforma torna-se num trabalho hercúleo!

De qualquer forma, nunca te esqueças que elas são um caminho e não o fim da viagem!

 

#5 - Cada negócio, sua métrica

As métricas devem ser definidas em função do negócio do cliente. Por exemplo, as métricas a considerar num e-commerce devem contemplar as estatísticas de vendas.

As principais métricas a monitorizar e que devem constar no relatório são:

- Taxa de cliques =  volume de cliques que determinado link, produto, publicação ou anúncio teve, em relação ao volume de impressões, durante uma campanha

- CAC - Custo de Aquisição de Cliente = valor investido na estratégia de marketing ÷ quantidade de vendas geradas

- CPL - Custo por Lead = valor investido nas estratégias de marketing ÷ quantidade de utilizadores convertidos em leads

- ROI - Retorno do Investimento = (receitas geradas com as vendas – valor total investido na estratégia) ÷ valor total investido na estratégia

- ROAS - Retorno Sobre o Investimento Publicitário = (Receita gerada – Custo dos anúncios) / Custo dos anúncios (mede a receita bruta do investimento, neste sentido é uma métrica centrada na eficácia das campanhas online).

 

No caso da gestão das redes sociais, poderá ser importante também monitorizar o número de novos seguidores, número de impressões, cliques e conversões geradas.

 

Este artigo foi útil? Partilha ou deixa o teu comentário!

 

Classifique este item
(0 votos)

ARTIGOS RELACIONADOS